Explorando o noroeste gaúcho.

Na segunda quinzena do mês de Julho de 2018, resolvemos conhecer duas cidades que ficam no interior gaúcho. Ambas as cidades ficam localizadas no noroeste do estado, sendo mais preciso ficam na Microrregião de Santo Ângelo. Uma região que possui aproximadamente 201.798 habitantes.

Saída de Porto Alegre rumo a cidade de Santo Ângelo.

Nós saímos de PoA junto com a organizadora da viagem, a Trip Tri, no dia 20 de julho, às 23h. E de lá percorremos cerca de 437 km até chegamos ao nosso destino final.

Na manhã seguinte, quando chegamos a cidade, fizemos uma pausa para tomar o café da manhã, antes de seguirmos em rumo a aventura.

Conhecendo o Monumento Sepé Tiaraju.

Após lancharmos, foi a vez de conhecer a cidade de Santo Ângelo. A nossa primeira parada foi no Monumento do Sepé Tiaraju. Uma obra muito bonita feita pelo escultor Valentin Von Adamovich no ano de 1960, em homenagem ao chefe indígena homônimo.

Falando ainda sobre o monumento, a história retrata na década de 18, quando Portugal trocou a Colônia de Sacramento com a região dos Sete Povos que pertencia a Espanha. Apesar de a troca ter sido aprovada entre os dois países, os povos indígenas que viviam naquela região não concordaram e pegaram em armas para proteger o seu território.

O Sepé Tiaraju junto com os guaranis, conseguiram bastante vitórias, entretanto no ano de 1756, eles acabaram perdendo cerca de 1.500 homens, e acabaram sendo derrotados. Mesmo com a derrota, o Sepé acabou sendo imortalizado como um herói, já que foi bastante resistente e não autorizou ninguém a expropriar suas terras.

Conhecendo o centro histórico de Santo Ângelo.

Após ter visitado o Monumento do Sepé Tiaraju, agora foi a vez de conhecer o centro histórico da cidade. E uma das nossas primeiras paradas foi no Museu Municipal Dr. José Olavo Machado.

Museu Municipal Dr. José Olavo Machado.

O museu fica localizado no mesmo edifício que abrigou a antiga prefeitura municipal de Santo Ângelo. No local conseguimos encontrar vários objetos indígenas que foram produzidos ali naquela região. Além disso também encontramos uma maquete antiga da cidade.

Praça Pinheiro Machado.

A Praça Pinheiro Machado, é um dos locais mais visitados pelos turistas. Isso porque o local preserva a identidade da cidade, para se ter a ideia a praça foi fundada há 121 anos.

O local é tão importante para o município, que os moradores se reúnem lá no dia 7 de setembro, pra fazer os festejos do dia da independência, além disso muito dos estudantes fazem a festa da formatura lá. Realmente o local é bastante importante para os munícipes.

Catedral Angelopolitana.

A Catedral Angelopolitana é uma das igrejas mais importantes do município. O local foi erguido em 1929, entretanto, anteriormente já tiveram outras igrejas instaladas no local.

Essa igreja já chamou bastante atenção no passado. Isso porque na década de 90, existia uma pintura de padres jesuítas catequizando índios guaranis seminus. Entretanto 17 anos depois, a igreja precisou ser reformada, e com isso acabaram removendo a pintura polêmica.

Partiu São Miguel das Missões.

Depois de ter curtido a manhã em Santo Ângelo, resolvemos conhecer outra cidade do noroeste gaúcho. Dessa vez percorremos cerca de 58 km, para chegar até a cidade de São Miguel das Missões.

Fonte Missioneira.

Uma das nossas primeiras paradas em São Miguel das Missões foi na fonte missioneira. Essa fonte foi construída há 300 anos pelos jesuítas. Entretanto o local só foi redescoberto em 1982, e no ano seguinte foi restaurado.

Segundo os pesquisadores arqueológicos, essa fonte era usada para abastecer a redução de São Miguel, na época que o município ainda pertencia aos espanhóis.

Próximo destino: Sítio Arqueológico São Miguel Arcanjo.

Após termos conhecido a Fonte Missioneira, paramos para almoçar, e logo saímos em direção ao sítio arqueológico São Miguel Arcanjo.

No passado, o local abrigou a redução jesuíta de São Miguel Arcanjo. Vale ressaltar que na época essa região ainda pertencia aos espanhóis. Tanto é que o seu nome verdadeiro era Misión de San Miguel Arcángel. O local se tornou patrimônio histórico no ano de 1922.

O local tem aproximadamente 38 hectares, e lá você consegue encontrar a primeira igreja daquela região, uma sacristia e também os alojamentos aonde a população indígena morava.

Aguardamos até a noite para apreciar o espetáculo de luz e som.

Logo mais a noite, ainda no Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo, tivemos um show de luz e som, que contou a história da região durante o período Jesuítico-Guarani.

O espetáculo ocorre diariamente, e tem uma duração de aproximadamente 48 minutos. Durante o horário de inverno, o evento começa a partir das 20h. Enquanto que no horário de verão, o evento acontece mais tarde, por volta das 21h30.

Uma coisa bastante interessante, é que eles narram o acontecimento em duas línguas, em português e espanhol. No caso, da língua hispânica, a narração acontece uma hora depois do inicio do espetáculo.

DSC 5134 1024x682 - Santo Ângelo e São Miguel das Missões.
DSC 5182 300x200 - Santo Ângelo e São Miguel das Missões.
DSC 5188 300x200 - Santo Ângelo e São Miguel das Missões.

G6312250 1024x768 - Santo Ângelo e São Miguel das Missões.

Aproveitando o passeio.

A região noroeste está cheia de coisa interessante pra se conhecer. Entretanto diferente dos passeios convencionais, essa região tem lugares bastante educativos. Isso porque a região preserva a identidade gaúcha. E muito mais que isso, preserva um passado cheio de história e curiosidades para se conhecer.

Em Santo Ângelo, por exemplo, você encontra bastante monumentos homenageando grandes personagens que vivenciaram no período guarani-jesuíta, como o Sepé Tiajuru. Além disso, tem também o centro histórico da cidade, que possui a catedral angelopolitana, além de uma praça e também um museu, que contém vários objetos feitos pela população índigena na época.

Já pro lado de São Miguel das Missões, temos o sítio arqueológico, que preserva uma área aonde guaranis e jesuítas viveram durante a época do reduto. Além disso toda a noite, eles contam a história da região com direito a um show de espetáculo de som e luz.

O melhor local para se hospedar.

A melhor hospedagem para ficar é a Pousada das Missões. Nós dormimos apenas uma noite lá, entretanto aprovamos bastante.

A pousada fica localizada no centro de São Miguel das Missões, o que facilita e muito o acesso. Além do mais o local tem diferentes tipos de acomodação, para que o cliente possa escolher. Ou seja, se você não está querendo gastar muito, você pode optar por um quarto mais simples. Entretanto, se você desembolsar um pouquinho mais, poderá selecionar um quarto com televisão e ar-condicionado.

Sobre a viagem.

Foi muito bacana ter conhecido a região noroeste do Rio Grande do Sul. Mas muito mais que um tradicional passeio. Podemos dizer que fizemos uma viagem educativa. Já que aprendemos mais sobre a história daquela região, e também do Rio Grande do Sul. Através desse passeio, conhecemos o passado jesuíta-guarani. E também tudo sobre a época que a região era dominada pelos espanhóis.

Comments

comments

2 Comentários

Deixe o seu comentário