Saindo em rumo a viagem.

Através de uma agência de viagem, conseguimos adquirir uma reserva no voo da Latam, que sairia de Porto Alegre/RS, rumo a capital colombiana de Bogotá, no dia 27 de Julho de 2018.

Nós percorremos aproximadamente 7.182 km até chegarmos ao nosso destino, e ficamos cerca de 9 horas dentro do avião.

Conhecendo Bogotá.

A capital colombiana é um lugar bastante agitado. Assim como toda grande cidade, Bogotá é bastante movimentada, e tem um tráfego intenso. Você vê as pessoas correndo pra ir pro trabalho, outras levando os seus filhos para escola, e assim sucessivamente.

Apesar de ser bastante semelhante com outras grandes cidades, como Nova York, São Paulo ou Porto Alegre, lá você encontra coisas que você não encontraria em nenhum lugar do mundo. Como por exemplo, a sua culinária, a sua história, dentre outras coisas.

Outra coisa que notamos é que Bogotá é diferente daquilo que dizem, já que muitos turistas costumam dizer que o lugar é perigoso, principalmente no centro. Entretanto não foi bem isso que vimos, já que ao andar pelo centro da cidade, nos sentimos bastante seguros. Além de que existem bastante policiais andando pela rua.

Apesar de a cidade ser bastante segura, as pessoas têm que tomar cuidado com os vendedores ambulantes, isso porque eles costumam a enganar os turistas. Alguns deles oferecem pacotes turísticos para um lugar, mas quando o cliente compra eles dão pacotes para outros lugares. Então é recomendado que você compre os pacotes apenas em agências físicas, para não ter problemas posteriormente.

O Museu do Ouro.

A nossa primeira parada, foi no museu do ouro que fica localizado na rua Carrera 6, número 1588. O museu foi construído há 79 anos com a ajuda do Banco de la República da Colômbia. O local foi feito para expor artefatos pré-colombianos feitos a partir do ouro, prata e outros tipos de metais nobres.

O edifício é dividido em quatro salas. Logo na primeira sala, vemos uma escultura que foi encontrada no Alto Magdalena, que fica no departamento de Cundinamarca. Além disso você encontra outros objetos que foram construídos pelos nativos colombianos. E também conhece como era feito o processo de mineralogia naquela época.

“La gente y el oro”

Logo após, entramos na sala “La gente y el oro”, que tem como objetivo expor materiais produzidos por nativos que viviam próximo da Cordilheira dos Andes, da Costa do Pacífico e também das ilhas caribenhas. O local apresenta diversos tipos de artefatos, que variam desde a cerâmica até madeira. Boa parte desses objetos eram usados pelos líderes das tribos.

“Cosmología y simbolismo”

Na sala “Cosmología y simbolismo” pudemos encontrar objetos simbólicos dos indígenas. Algumas pessoas costumam a dizer, que os índios expressavam os seus pensamentos através desses artefatos. Embora seja difícil decifrar. Além disso você também encontra máscaras de ouro que eram usadas pelos líderes das tribos.

“La Ofrenda”

E por último entramos numa sala conhecida como “La Ofrenda”. Como o nome da sala meio que diz, nós encontramos oferendas que os índios faziam naquela época. Lá vemos como os artefatos eram transformados para serem oferecidos aos seus deuses, antes de serem colocados nas lagoas ou cavernas.

Voltando ao passado.

Ao término da nossa visita, somos levados para uma sala de vídeo, aonde é simulado um ritual xamânico, que eram feitos pelos índios da época.

Dicas para quem quer conhecer o Museu do Ouro em Bogotá.

Enfim, o passeio foi ótimo. O local é bastante incrível para quem gosta de museus, e também quer conhecer o passado pré-colombiano. Além disso se você gosta de histórias indígenas, esse museu é o lugar certo para você visitar, já que lá é exposto vários artefatos produzidos pelos mesmos. É até uma boa para conhecer também o passado da humanidade.

Para quem se interessou é cobrado uma tarifa de 3.000 pesos colombianos (aproximadamente R$4,00) de terça a sábado, no domingo a entrada é gratuita. Entre terça e sábado, o museu abre das 09:00 a 18:00. No domingo e no feriado das 10:00 a 16:00.

Cerro de Monserrate.

Depois de me admirar com as belezas do Museu do Ouro, agora foi hora de se aventurar no Cerro de Monserrate, que é uma montanha que fica na cordilheira dos Andes. No topo da montanha existe a Basílica Santuário del Señor Caído de Monserrate, que foi fundado no século XVII.

Esse local lembra bastante a Catedral Basílica de Nossa Senhora Aparecida, que fica no Vale do Paraíba, no interior paulista. Isso porque ela também recebe bastante peregrinos diariamente. Entretanto como ela fica numa montanha, só tem três formas para você chegar até a basílica, que é de teleférico, funicular ou a pé. Para aproveitarmos melhor o nosso tempo, na ida fomos de funicular e voltamos pelo teleférico.

Subindo a montanha.

Ao subir de funicular, você passa por um edifício antigo bem bonito, que ainda preserva as estruturas do passado. Ao desembarcamos, ainda tivemos que percorrer um trajeto a pé. Até chegarmos a basílica passamos por algumas esculturas que ficam em meio a vegetação do Cerro de Monserrate.

Chegando no topo.

Além de conhecer a igreja, você ainda consegue ver boa parte da cidade de Bogotá lá do topo. E isso é bacana, ainda mais pra quem gosta de altura. Pra se ter uma ideia o local tem 3000 metros de altura, não é pouca coisa não. E lá de cima ainda você consegue ver o Cerro de Guadalupe.

A Igreja.

Já sobre a igreja, ela possui uma réplica da Nossa Senhora de Monserrate que está cercada pelas bandeiras da Colômbia e da Catalunha. Eles também costumam a iluminar a igreja durante as celebrações de aniversário de Bogotá.

DSC 5270 1024x683 - Série Colômbia 2018: Bogotá.DSC 5278 1024x683 - Série Colômbia 2018: Bogotá.DSC 5274 1024x683 - Série Colômbia 2018: Bogotá.

Juan Valdez Café.

Se tem uma coisa que deveria ser sagrada no mundo, é o café, pensa num negócio bom. Não tem coisa melhor que você parar num bar, em uma lanchonete, e pedir aquele copo de café fresquinho, pra conseguir forças e ânimo pra continuar o seu dia.

Em Bogotá temos diversas cafeterias espalhadas por toda a cidade. Que são desde pequenas marcas, até marcas mais famosas como a Starbucks. Mas agora conheceremos um pouco sobre uma cafeteria de grande porte, e o melhor ela é 100% nacional.

A cafeteria.

O estabelecimento é semelhante as outras cafeterias. Com o diferencial, que o foco aqui é apenas no café cultivado na Colômbia. Além disso a loja é divida em dois setores, o primeiro aonde você pode comprar as coisas pra comer e beber na hora, e a outra com produtos para ser usados fora do estabelecimento.

Muito mais que a bebida.

O mais bacana disso tudo, é que eles não trabalham apenas com bebida. Lá você encontra café de várias formas, como por exemplo, em bolachas, balas, e assim sucessivamente. Isso é muito bacana para quem é fascinado em café, já que você tem a possibilidade de tomar e comer o café.

Uma variedade de cafés pra levar pra casa.

Já no outro lado da loja, você encontrar diversas embalagens, com todo quanto tipo de variedade de café. Desde moído a inteiro, e com todo o tipo de variedades de cafés produzidos no país. É uma boa para quem quer trazer um pedaço da Colômbia para a sua casa.

O melhor café já experimentado na América Hispânica.

Eu posso lhe garantir que foi o melhor café que já tomei na América Hispânica, isso porque o sabor é muito marcante. Além do mais eu gostei bastante da variedade de cafés que eles nos proporcionam. É como eu disse, é um ótimo lugar para os fascinantes do café. Isso porque lá você tem uma variedade de bebidas. Se você gosta de ir ao Starbucks, você vai adorar conhecer o Juan Valdez Café, isso porque os dois locais são bem parecidos. Com o diferencial, de que o Juan lhe proporciona novos sabores, isso porque eles tem os melhores ingredientes que vieram de antigas gerações colombianas.

Estádio Nemesio Camacho El Campín.

Agora foi a vez de conhecer o El Campin, que em português seria algo como “O campinho”. O estádio foi fundado em 1938, após o prefeito da época doar parte do terreno para a construção de um estádio. Isso porque para ele a cidade precisava de um grande centro esportivo. O nome foi dado em homenagem ao pai desse prefeito, isso foi parte do acordo durante a doação do terreno.

A sua capacidade.

A primeira partida que aconteceu no estádio foi entre Colômbia e Equador, válido pelos jogos bolivarianos. Na época o estádio só tinha capacidade para cerca de 10.000 espectadores. Entretanto alguns anos mais tarde, o estádio passou por uma reforma, e ampliou a capacidade para 39.000 torcedores.

Os jogos e jogadores.

No estádio já se passaram grandes jogadores. Ainda mais pelo fato das equipes Millionarios FC e Independiente Santa Fe terem o seu mando de campo lá. Mas além de receber os jogos desses respectivos clubes, o estádio também já foi usado em outras competições, como nos jogos bolivarianos e também na Copa América de 2001.

O estádio fica na região norte da capital colombiana, fica apenas 5 km do centro histórico de Bogotá.

O estádio.

O estádio é um lugar até que interessante, tem uma grande história, ainda mais pelo fato de dois grandes clubes da Colômbia terem seu mando lá. Entretanto, eles não são grandes como os estádios brasileiros, como por exemplo, a Arena do Grêmio, a Arena Corinthians, o Maracanã, etc… É um estádio bem básico.

DSC 5543 1024x683 - Série Colômbia 2018: Bogotá.DSC 5570 1024x683 - Série Colômbia 2018: Bogotá.DSC 5579 1024x683 - Série Colômbia 2018: Bogotá.

Jardim Botânico de Bogotá.

O maior jardim botânico da Colômbia, fica localizado na CI 63, em Bogotá, próximo ao centro cultural. O jardim recebe mais de 300.000 turistas anualmente, ainda mais por fazer parte Index Herbariorum (IH) do Jardim Botânico de Nova Yorque. E conta com uma área de cerca de 19 hectares.

Para os amantes da natureza.

Quem gosta de curtir a natureza, com certeza vai gostar de conhecer o Jardim Botânico, isso porque o local abriga mais de 20 mil plantas, com cerca de 4 mil espécies diferentes. E isso é muito bacana, porque permite o turista conhecer os outros climas colombianos, como páramo, floresta amazônica, paisagem andina, árido desértico, planície e pântano.

Um local que foi batizado com um nome de um grande naturalista.

O local foi batizado com o nome José Celestino Mutis em homenagem ao naturalista que foi responsável por descobrir e catalogar mais de 20 mil espécies de plantas e 7 mil animais na flora da Nova Granada.

Os símbolos no jardim.

Além disso o jardim botânico possui dois símbolos. A flor de Mutis que é nativa da América do Sul, que é considerada o emblema do Jardim Botânico. Que inclusive recebeu esse nome em homenagem ao José Celestino Mutis. E também tem a árvore de cera e as orquídeas que são símbolos colombianas.

Não é só passeio.

Muito mais que passeios, o jardim também é usado bastante para estudos. Isso porque muitas universidades de Bogotá, costumam a usar o local para montarem suas oficinas de biotecnologia, e também lutam pela conservação de espécies ameaçadas.

Já sediou eventos ecológicos.

O local também já foi palco do primeiro festival de música movido a energia solar da América Latina. O evento promovido pela SonEra Solar, montou um evento musical, aonde os equipamentos e os instrumentos utilizavam apenas a energia sustentável.

Um local para todos os amantes da natureza.

Se você gosta da natureza, você não pode deixar de ir para lá. Isso porque o lugar é bastante fantástico. Possui uma estrutura completa, contando até mesmo com um espaço para alimentação. Além de que o acesso ao jardim é muito barato. O valor do ingresso para quem tem mais de 13 anos, é de 2700 pesos (aproximadamente R$3,50), já para crianças com até 12 anos, elas pagam apenas 1400 pesos, que é cerca de R$2,00.

DSC 5687 1024x683 - Série Colômbia 2018: Bogotá.DSC 5708 1024x683 - Série Colômbia 2018: Bogotá.DSC 5722 1024x683 - Série Colômbia 2018: Bogotá.

Parque de Los Novios.

Apenas 3 km do Jardim Botânico de Bogotá, temos o parque de Los Novios, que também fica localizado no norte da CI 63. O parque foi fundado há 43 anos, e conta com uma área de aproximadamente 23 hectares. Ele é aberto diariamente das 6h00 até as 17h00.

Um lugar bastante agradável.

Conhecido como o pulmão de Bogotá, o local conta com um parque bio saudável, que chama bastante atenção de pessoas mais velhas. E também possui um lago grande, para quem curte uma aventura aquática. Inclusive eles dispõem barcos e caiaques para quem quiser curtir a lagoa.

Um bom lugar pra “assar uma carninha”.

Outra coisa interessante, e que, com certeza, vai chamar bastante sua atenção. É que é possível alugar uma pequena casa lá, para você fazer um churrasco junto com os amigos. Se você é daqueles que amam churrasco, pode ter a possibilidade de assar uma carne com os amigos, enquanto aprecia a natureza estupenda do parque. Entretanto é preciso fazer uma reserva um mês antes para conseguir uma vaga.

Um local ideal para realizar uma festa.

Existe também uma sala para eventos, que conta com 8 camas, 70 cadeiras e um banheiro próprio. É uma boa para casamentos, festas de aniversários, e outras coisas. O aluguel custa cerca de 117.300 pesos por hora, algo em torno de R$150.39.

Um estabelecimento de fast food dentro do parque.

Assim como no jardim botânico, aqui também tem um espaço reservado para alimentação, que vende desde alimentos estilo fast food, até mesmo bebidas quentes, como café. É uma boa opção para depois do passeio no parque, quando bate aquela fominha.

A nossa opinião.

Enfim, o parque é um bom lugar pra passear, já que conta um lago grande e também churrasqueiras, isso acaba tornando o parque bastante atrativo. Apesar de ficar um pouco longe da região central da cidade, ainda assim é possível chegar lá a pé, caminhando uns quatro quarteirões. Entretanto se você preferir, tem também os ônibus da TransMilenio, que passam na frente do parque.

Museu Botero.

O museu foi construído em 2000 para expor as artes feitas por Fernando Botero. Um dos grandes artistas figurativas da Colômbia. O mesmo ganhou tanto destaque pelas suas obras, que ele acabou criando seu próprio estilo, chamado de “Boterismo”.

Um artista com seu prórpio estilo.

O artista é famoso por usar apenas personagens rechonchudos em suas obras de artes. E por isso acabou ficando conhecido como artista dos gordinhos. Lá no museu, você encontra várias obras de arte de “gordinhos”, que variam desde desenhos até quadros e estatuetas.

Um pouco da sua história.

Anteriormente havia uma casa colonial no lugar, que já havia sido tombada algum tempo. E após o Fernando Botero, ter doado cerca de 208 obras de arte para o Banco da República, eles resolveram usar essas obras artesanais para montar um museu.

Um passeio longo.

Como tem bastante obras do autor Fernando Botero, e também de outros autores, o passeio acaba ficando um pouco longo, e tendo uma duração de aproximadamente 2 horas. São ao todo 123 obras do Botero, que transmitem bastante emoção de quem passa por ali, algumas obras farão você rir, outras te deixarão curiosas, e algumas até mesmo o espanto. Detalhe que as artes são bem detalhadas e intensamente bonitas.

Além das obras do Botero.

Além das obras dele, você também encontra obras de autores como Pablo Picasso, Marc Chagall, Alberto Giacometti, Salvador Dalí, Gustav Klimt, Henri Matisse, Joan Miró, Claude Monet e Henri Toulouse-Lautrec. São ao todo 85 obras, que até antes de 2000, eram de propriedade do Fernando Botero. É até interessante, pois você acaba conhecendo a inspiração dele.

Como chegar até lá.

O museu abre diariamente com exceção das terça-feiras. No domingo, o museu abre das 10h às 17h, nos outros dias ela abre das 9h às 19h. O local também disponibiliza visitas guiadas, em horas específicas, que o turista poderá conferir por telefone, ligando para o +57 1 3431316, para ter mais detalhes do acesso. O museu está localizado na Calle 11, no bairro La Candelaria.

Parque Simon Bolivar.

O parque foi feito para homenagear um dos grandes ídolos hispano-americanos, o Simon Bolivar, que ajudou a conquistar a independência de muitos países, além de ter sido presidente de alguns países latino-americanos, como a Venezuela, a Colômbia e o Equador.

Um parque imenso.

Voltando a falar do parque, pra cês terem ideia do tamanho do parque, ele é maior do que o Central Parque de Nova York, contando com cerca de 360 hectares. O local conta com aproximadamente 200 mil turistas por semana.

Recebeu dois papas.

O local é bastante sagrado, inclusive recebeu o Papa Paulo VI, durante o 39º Congresso Eucarístico Internacional, em 1968. Anos mais tarde, por volta de 1986, o Papa João Paulo II, também participou de um evento litúrgico no mesmo lugar.

A grande reforma.

No ano de 1995, o local passou por uma reforma. Cujo qual ampliaram o caminho para os turistas andarem. Eles também aproveitaram para reformar o parque infantil e o estacionamento do parque. Além de replantar o parque, com plantas nativas. Mas talvez um dos grandes feitos dessa reforma, foi o fato de terem recuperado o lago. Fazendo uma limpeza, e garantindo a oxigenação da água.

Sua localização

Para quem quiser ir ao parque, ele fica entre as ruas 53 e 64, e de leste a oeste da rua 36 até a avenida Rojas. Ele é aberto diariamente 6:00 às 18:00.

Um lugar que merece ser visitado.

Se você gosta de parques, com certeza vai gostar do parque Simon Bolivar. Isso porque ele é um parque grande, que permite passeios mais duradouros. Além disso ele lembra bastante o parque do Ibirapuera em São Paulo, é muito parecido mesmo. Então se você gosta do Ibirapuera, também vai gostar do parque Simon Bolivar.

Aproveitando a viagem.

Bogotá está cheio de lugares para serem desbravados. E se você é daqueles turistas que está disposto a encarar todo o tipo de desafio, então essa é a cidade certa para você.

O destino tem vários estilos para todos os gostos. Se você é daqueles que tem um bom paladar, se prepare pois a culinária bogotana está cheio de pratos e variedades para serem descobertos. Agora se você também gosta de tomar aquele café, Juan Valdez Café, pode ser uma boa opção, caso você queira experimentar o melhor café colombiano.

Agora se você é uma pessoa mais religiosa, poderá também subir o Cerro de Monserrate, e assistir uma missa na Basílica Santuário del Señor Caído de Monserrate. Além é claro de ter a oportunidade de andar em um funicular ou teleférico, caso nunca tenha andado em um desses.

Agora se tem uma coisa que Bogotá chama bastante atenção é na cultura, isso porque a cidade está repleto de ambientes educativos. Recomendamos dois grandes museus, o Museu do Ouro e o Museu do Botero. O Museu do Ouro é o melhor lugar pra conhecer um pouco sobre o passado do país, principalmente fatos que aconteceram no período pré-colombiano. Enquanto que o Museu do Botero, é um lugar fenomenal, para quem quer conhecer novos estilos de arte.

A hospedagem.

Nós nos hospedamos em um hotel três estrelas, chamado de El Virrey. Ele fica na Calle 18 #5-56., no centro de Bogotá, próximo ao Torre Colpatria. E fica há 5 minutos do Museu de Ouro.

O hotel tem cerca de 97 quartos, um espaço para alimentação, tem serviço de lavanderia, conta com armazenamento de passagem, além de ter wi-fi no edifício todo. Cada quarto, tem um banheiro, uma televisão com canais fechados, além de um secador de cabelo.

A hospedagem ela está num preço razoável, que é algo em torno de R$110 por diária. Além de ser bem localizado. Entretanto, a rua em que ele fica costuma ser perigoso, durante a noite, ou seja, não recomendamos que fique até tarde na rua. Além disso o café da manhã deixou a desejar em alguns pontos.

Sobre a viagem.

Foi muito bacana ter conhecido Bogotá, isso porque a cidade é bem encantadora e acolhedora. E no geral, o mais bacana foi conhecer um outro lado da América do Sul. Já que em Bogotá nós descobrimos uma nova culinária, uma nova cultura, e no fim isso acaba gerando um sentimento fantástico dentro da gente. Viajar é muito bom, e conhecer novos lugares, é melhor ainda.

Comments

comments

Deixe o seu comentário